Páginas

sexta-feira, 6 de maio de 2011

SEGUNDO TRAGO...

Num sonho que tenho de ser feliz, 
Quero beber e fumar em tragos lentos,
Todo o prazer e felicidade de dentro de um por um de nós,
Podendo eu ser qualquer pessoa, 
Uma dentre todas as pessoas,
Seria eu mesmo, encantado e terno,
Um ser humano, na escala indefinida entre o ser uma pessoa,
E o ser um humano!
Como em uma forma de gelo, com seus vários cubículos, 
Preenchidos com a mesma água, porém,
Com formações de pedras de gelo totalmente individualizadas,
Cristalizadas pelo mesmo frio e no mesmo contexto,
E ser cubos de gelo, diferentes uns dos outros,
Mas unidos em realizar a essência de suas existências:
Gelar a bebida da inconciência!
Se eu não precisasse defender a minha total convicção daquilo que me tornará, 
Entre àspas, doutor daquilo que penso, eu seria uma pessoa bem melhor...
Hoje e agora tenho a oportunidade de falar o que penso, 
Com essa ou aquela opinião formada, porém inacabada, como toda opinião formada...
Se eu não tivesse passado por todos os proclames de universidades, grades curriculares, orientadores e teses,
talvez eu seria muito mais "doutor",
Se eu não tivesse passado por tudo isso, e tornado minha tese só minha,
Sem precisar publicá-la e colocá-la aos olhos do mundo e daqueles que nem se importam,
Talvez o que me é tão importante, seria o asco daquilo que todos nem se importariam,
Mas isso tudo é minha vida e foi muito importante, por um lado ou por outro...
E tem muita coisa que a maturidade, os anos e a experiência de vida irá nos ensinar...
Tenho me preocupado com a lógica das coisas que vão acontecer comigo, com meu futuro... é muito prejudicial...
Nada a ver com um futuro ou o futuro... mas é o momento que se tem de ser gente, 
E esses anos de estudos me serviram para entender o que seria ser "gente", com ou sem "Dr" na frente do nome...
kkkkkk...
(Versando ao acaso, extraído das palavras de reflexão, da mulher e doutora do meu coração: Lê.)